TEORIA DOS FRUTOS DA ARVORE ENVENENADA E AS FONTES INDEPENDENTES

A teoria dos frutos da árvore envenenada e o conceito de fontes independentes são princípios importantes no direito processual penal, especialmente no que diz respeito à admissibilidade das provas no processo penal. Vamos analisar cada um deles:

Teoria dos Frutos da Árvore Envenenada

  1. Definição:
  • A teoria dos frutos da árvore envenenada (fruits of the poisonous tree) estabelece que provas obtidas de maneira ilícita (a “árvore envenenada”) contaminam todas as provas subsequentes derivadas dela (os “frutos”).
  1. Origem:
  • Essa teoria teve origem no direito norte-americano, especificamente a partir do caso Silverthorne Lumber Co. v. United States (1920) e foi consolidada no caso Nardone v. United States (1939).
  1. Aplicação no Brasil:
  • No Brasil, essa teoria é aplicada com base no artigo 5º, inciso LVI, da Constituição Federal, que dispõe que “são inadmissíveis, no processo, as provas obtidas por meios ilícitos”.
  1. Exemplo:
  • Se a polícia obtém uma confissão através de tortura (meio ilícito), qualquer prova obtida como consequência direta dessa confissão (como a localização de objetos furtados) também será considerada inadmissível.

Fontes Independentes

  1. Definição:
  • O conceito de fontes independentes (independent source doctrine) estabelece que, se uma prova é descoberta por uma fonte independente que não está relacionada à conduta ilícita, essa prova pode ser admissível, mesmo que outra prova ligada ao mesmo fato tenha sido obtida de maneira ilícita.
  1. Origem:
  • Também originário do direito norte-americano, este conceito foi desenvolvido para evitar a exclusão de provas que poderiam ser obtidas por meios lícitos e independentes da ilegalidade inicial.
  1. Aplicação no Brasil:
  • O conceito de fontes independentes é aceito na jurisprudência brasileira como uma exceção à teoria dos frutos da árvore envenenada, permitindo a admissibilidade de provas obtidas de maneira independente de qualquer ilicitude.
  1. Exemplo:
  • Suponha que a polícia obtém ilegalmente a localização de uma testemunha chave através de uma escuta telefônica não autorizada. No entanto, se essa testemunha se apresenta voluntariamente à polícia e fornece depoimento, o depoimento seria admissível como uma fonte independente, mesmo que a localização inicial da testemunha tenha sido obtida de maneira ilícita.

Diferença entre as Duas Teorias

  • Teoria dos Frutos da Árvore Envenenada:
  • Exclui todas as provas derivadas direta ou indiretamente de uma fonte ilícita.
  • Visa proteger os direitos fundamentais e evitar que o Estado se beneficie de suas próprias ilegalidades.
  • Fontes Independentes:
  • Permite a admissibilidade de provas que, embora relacionadas a uma prova ilícita, foram obtidas através de meios lícitos e independentes da ilegalidade inicial.
  • Garante que provas obtidas legalmente não sejam descartadas injustamente.

Conclusão

A teoria dos frutos da árvore envenenada e o conceito de fontes independentes são mecanismos jurídicos que buscam equilibrar a proteção dos direitos fundamentais do indivíduo com a eficácia da investigação criminal. Enquanto a primeira busca excluir todas as provas contaminadas por ilegalidades, a segunda permite a admissão de provas obtidas de maneira lícita e independente, garantindo um processo penal justo e eficiente.

Deixe um comentário